• A CTGI
  • Serviços e Soluções
  • Educação
  • Base de Informações
  • Projetos em Destaque
  • Sala de Imprensa
  • Fale Conosco
  • Colaboradores

Processos, Sistemas e Tecnologia da Informação: NOVEMBRO 2005

 

Nessa edição, entre vários temas interessantes, você saberá sobre o sucesso do treinamento em Modelagem de Processos com BPML, a linguagem que supre a lacuna entre a modelagem de negócios e as modelagens puramente técnicas de implementações dos processos. Conheça fontes de informações sobre  como  o COBIT materializa o conceito de governança em TI e se integra com outros padrões. Veja como a adoção do ITIL tem ampliado a procura por especialistas na área, e como o uso efetivo da Engenharia Reversa diminui tempos de atualização em ativos de sistemas. Nossa equipe está à sua disposição para auxiliá-lo. Entre em contato.

 

Boa leitura.

 

João Contart Neto


I) EDUCAÇÃO

Realizada com sucesso a primeira turma aberta do Curso Modelagem de Processos com BPML. 

A BPML é uma linguagem de modelagem de processos definida e normatizada pelo BPMI (www.bpmi.org) em franca adoção pelas empresas no mundo todo. O curso Modelagem de Processos com BPML trata da linguagem universal para modelagem de processos de negócios a qual pode ser usada para processos de todas as áreas de uma empresa, como por exemplo, os processos financeiros, administrativos, de RH, entre outros. 

O treinamento da CTGI foca: a) Conceitos essenciais de processos e sua modelagem; b) Técnicas gerais de modelagem de processos e suas dimensões; c) a linguagem BPML (origem, sintaxe, notação, uso); d) Ferramentas de modelagem, gestão e automação de processos; e) Indicadores; e, f) Aplicações práticas e exercícios de modelagem para consolidação dos conceitos.  Durante o curso é utilizada a ferramenta MS-Visio com add-in para BPML, desenvolvido pela própria empresa. Essa ferramenta é uma opção pela simplicidade na exposição dos conceitos e do uso. São apresentados também alguns exemplos de processos através da ferramenta AION, da CA, em recurso “on line” disponibilizado em  laboratório da CTGI. É sabido que, a linguagem BPML é suportada por produtos tais como ARIS (da IDS-SHEER), CASEWISE, ÀGILES (da brasileira IMAGETEC), FUEGO, FILENET, entre outros, assim, os conceitos e técnicas passados no curso também poderão ser usados nessas ferramentas ou em qualquer outra que adote a BPML. A Metodologia apresentada e Linguagem BPML independem da ferramenta usada.  

No treinamento, ficou evidente que a utilização dos exercícios práticos é de grande valor para os alunos, garantindo rápida e eficiente fixação dos conceitos fornecidos.

Veja alguns comentários realizados pelos alunos presentes: “ponto forte: a possibilidade de conhecimento de ferramentas que suportam a linguagem”; “Grande conhecimento por parte do instrutor do assunto tratado”; “Excelente atendimento antes e durante o curso”; “Segurança nas respostas aos questionamentos realizados”.  

A CTGI continuará provendo treinamentos abertos na área de Gestão de Negócios, conheça o calendário para 2006 (www.ctgi.com.br)

Cresce o uso coordenado dos diferentes padrões de mercado. 

Há mais de dois anos, nossa empresa vem desenvolvendo um trabalho de informação ao mercado sobre o uso integrado das diferentes normas e padrões existentes. Aqueles que participaram de nossos treinamentos já puderam exercitar esses temas. Recentemente podemos encontrar materiais e iniciativas valiosas acerca do uso integrado das melhores práticas. Entre elas estão o COBIT, o ITIL, o CMMi e o SWEBoK, o PMI e PRINCE2, além da ISO17.799/BS7799, entre muitas outras. O livreto “Processos em Sistemas e TI” distribuído gratuitamente através do site de nossa empresa, apresenta os conceitos e domínios fundamentais desses padrões.

Recente o ITSMF, órgão internacional dedicado à manutenção do ITIL, anunciou a publicação do documento “Aligning COBIT®, ITIL® and ISO 17799 for Business Benefit: A Management Briefing from ITGI and OGC” que pode ser acessado através do link: http://www.itsmf.com/news/news.asp?NewsID=170. Nele há uma excelente análise e orientações acerca da integração desses três padrões, e é leitura essencial para os profissionais da área.

No Brasil também há iniciativas de instituições públicas e privadas para difundir essas práticas. Em Dezembro será realizado o “I SEMINÁRIO DE GESTÃO E GOVERNAÇA EM TI”, na Universidade de Brasília (veja o link http://www.sgti.nmi.unb.br/ ). A CA – Computer Associates também promove regularmente eventos acerca de Governança em TI e Gestão Integrada da Infra-Estrutura Tecnológica.

Caso você ainda não possua, solicite gratuitamente o livreto “Processos em Sistemas e TI” enviando seu pedido para info@ctgi.com.br. 

Próximas sessões abertas de treinamentos. 

Estão programadas para os próximos meses, turmas abertas em Modelagem de Processos com BPML,  ITIL e Engenharia de Software/UML. Veja as próximas turmas:  

Modelagem de Processos com BPML: 29 e 30 de novembro e 01 de dezembro, em 5 módulos de 4:00 hs num total de 20 horas. 

ITIL Revisão Teórica para Certificação turmas no dia 03 de dezembro das 8:00 às 12:00hs. Carga  horária de 4 horas. 

ITIL Fundamentos Teóricos e Certificação, 05,06 e 07 de dezembro, em 3 módulos de 4:00 hs, num total de 12 horas. Certificação opcional. 

Especificação e Desenvolvimento de Software com UML e EA: 14,15 e 16/12, em 3 módulos de 4:00 hs num total de 12 horas

Veja o calendário no link: http://www.ctgi.com.br/treina_calendario.aspx


II) PROCESSOS EM SISTEMAS E TI

A GOVERNANÇA EM SISTEMAS E TI SIMPLIFICADA PELA ADOÇÃO DO COBIT 

O COBIT, um “framework” mantido pela ISACA (órgão internacional de melhores práticas em segurança e auditoria das áreas de Sistemas e TI), é atualmente a grande referência aceita e adotada pelo mercado. O COBIT é útil a qualquer instituição que busque um conjunto de controles que criem visibilidade e demais condições gerenciais para que sua área de Sistemas e TI opere definitivamente alinhada com as prioridades da instituição. Fornece instrumentos formais, aceitos pelo mercado no mundo todo. O COBIT apresenta trinta e quatro processos agrupados em quatro grandes domínios. Qualquer área de Sistemas e TI de qualquer organização pode ser modelada com base nesses trinta e quatro processos, e não há necessidade de qualquer outro. Aí reside um dos grandes valores desse modelo. É um trabalho muito maduro, originado de contribuições de centenas de especialistas no mundo todo e que realmente sintetiza e agrupa as atividades de uma área de Sistemas e TI, de forma compreensível e produtiva. 

No Brasil, diferentes empresas já adotam o COBIT como referência para suas atividades ligadas à tecnologia de informação. Em especial os bancos precisam seguir as resoluções do Banco Central que têm no COBIT uma de suas principais referências. Diversas resoluções do BACEN são atendidas naturalmente pelas instituições que atuam com base no modelo COBIT. As bolsas de valores também exigem das empresas de capital aberto, os níveis de governança e, quando se trata de governança em Sistemas e TI,  o caminho é o mesmo. 

E como o ITIL (Information Technology Infrastructure Library) e a ISO/17799 se relacionam com o COBIT? Essa questão é sempre levantada, pois todas são recomendações de melhores práticas e têm como alvo as áreas de TI. A resposta é simples: são totalmente integradas e contribuem mutuamente. O COBIT fornece uma visão abrangente e de alto-nível, com foco em controles. Não trata de recomendações de implantações ou detalhes de alternativas de adoção. O ITIL, por sua vez e através de seus livros mais adotados, não cobre todos os processos do COBIT, mas um subconjunto muito importante relacionado ao gerenciamento de serviços. Para os processos que o ITIL abrange, ele é a melhor referência para facilitar a sua adoção e implantação. O mesmo ocorre com a ISO/17799 quando tratamos das questões de segurança e de um sistema abrangente de gerenciamento de segurança de informação. Nesse grupo devemos ainda incluir outras boas-práticas, como aquelas para o desenvolvimento de sistemas (CMMi, SWEBoK), e os padrões de gestão de projetos (PMI, Prince2). Portanto, todos esses padrões se complementam e devem ser usados, na medida correta, dentro de uma instituição. 

Saiba mais sobre o COBIT enviando sua consulta para info@ctgi.com.br. Participe de um de nossos treinamentos nessa área, conheça nossas opções de cursos no link: http://www.ctgi.com.br/treina_catalogo.aspx. Solicite gratuitamente nosso livreto “Processos em Sistemas e TI”.

Com a evidência dos benefícios, cresce a procura por profissionais treinados em ITIL.  

O mercado brasileiro descobriu definitivamente as vantagens inerentes à adoção das melhores práticas aceitas internacionalmente, em especial o ITIL na área de Serviços Gerenciados em TI. Os gestores notaram que muito mais que apenas adequação aos padrões, a adoção e implantação dessas técnicas traz benefícios mensuráveis e significativos. É relativamente simples fazer um business-case de implantação do ITIL. 

Em função desse excelente movimento dos líderes de tecnologia de informação, a demanda por profissionais treinados em ITIL cresceu significativamente. Mais do que a certificação, que é uma das exigências do mercado, conhecer e dominar como aplicar na prática os conceitos é fundamental. O mercado está solicitando desde analistas com conhecimentos iniciais, até gerentes e diretores especializados nesses padrões.  

Nossa equipe notou no mercado nacional um grande movimento nesse sentido, presente nitidamente em anúncios nas listas especializadas e nos meios de contratação como sites e jornais, nossa empresa também vem recebendo solicitações diretas de grandes empresas para a indicação de profissionais, e o capítulo brasileiro do ITSMF, entidade global responsável pelo ITIL, está abrindo a página de divulgação de empregos na área.

Nossa recomendação é que os profissionais da área de TI devem investir em sua capacitação nessa área, que constitui a base para a transformação dos serviços de sistemas e infra-estrutura tecnológica em suporte efetivo e ágil aos negócios finais da empresa. 

Solicite gratuitamente o white-paper “Benefícios da adoção do ITIL” e o livreto “Processos em sistemas e TI”  através do eMail info@ctgi.com.br

Veja as opções de treinamento oferecidas pela CTGI para ajudar em sua formação nessa área, consulte o link: http://www.ctgi.com.br/treina_catalogo.aspx

Envie suas questões sobre o tema. Nossos especialistas estão à disposição para auxiliá-lo. 


III) TECNOLOGIAS EM PROCESSOS DE NEGÓCIOS

A BPML ganha força  

A linguagem de modelagem de processos BPML (Business Process Modeling Language)  foi criada com o suporte de empresas e instituições preocupadas em estabelecer uma linguagem comum, aceita, compreendida, adotada e suportada pelos principais fabricantes de produtos e tecnologias ligadas à automação de processos.  A BPML supre uma lacuna ainda existente entre a modelagem de negócios e as modelagens puramente técnicas de implementações dos processos. Por esse motivo, ela é muito baseada e se integra naturalmente a outros padrões já consolidados no mercado. Entre eles estão: a) XML – a linguagem de troca de informações amplamente adotada pelo mercado e que permite agregar algum grau semântico ao armazenamento de informações;  b) XPath – uma linguagem formal de definição e execução de cálculos; c) todos os padrões definidos pela W3C e OMG, entidades de padronização e publicação de melhores práticas para tecnologia de informação e para a internet.  

A BPML deve também ser compreendida pelos usuários de negócios. Ela possui uma rica e simples interface gráfica que permite expressar condições e regras de negócios em formato visual, de fácil entendimento por usuários. Facilita assim a troca de informações precisas. Com ela, usuários e equipes de sistemas podem chegar rapidamente a modelos aceitos mutuamente e aprová-los. A BPML também possui a sua face técnica. Os desenvolvedores e arquitetos de sistemas precisam conhecê-la sobre o aspecto da implementação tecnológica e integração com todas as demais linguagens e padrões. Esse lado, embora muito amplo, deve ser explorado apenas pelo pessoal de tecnologia. 

A BPML é a única linguagem que atualmente suporta todo o ciclo de vida de um processo, desde sua concepção até sua implementação e manutenção em operação. Ela independe do produto adotado, pois foi concebida para ser suportada por todos os produtos de mercado. 

Saiba mais sobre BPML enviando sua consulta para info@ctgi.com.br. Participe de um de nossos treinamentos nessa área, conheça nossas opções de cursos no link: http://www.ctgi.com.br/treina_catalogo.aspx.

Motores de Regras de Negócios e o BPMS trazem agilidade à arquitetura de sistemas e aos negócios. 

A disponibilidade de produtos de excelente qualidade e de preços acessíveis no mercado nacional de Workflows e  BPMS – Business Process Management Systems, coloca à mão dos gestores de Sistemas e TI armas essenciais para oferecer a robustez e a agilidade requeridas pelas áreas de negócios das empresas. Com esses recursos é possível ampliar a qualidade dos serviços oferecidos pela área de TI e ao mesmo tempo integrar fortemente os usuários finais. 

Além da flexibilidade de desenho e implantação de novos processos e seus indicadores, essa arquitetura traz robustez e agilidade, integrando e preservando sistemas já existentes. É uma arquitetura que complementa e atualiza a arquitetura de sistemas da empresa. A agilidade percebe-se quando observamos que uma alteração de regras de negócios, que antes poderia levar até três meses em um ambiente tradicional de desenvolvimento de sistemas, com o uso dessas novas metodologias pode passar por um processo robusto de definição, implementação e testes em apenas uma semana, e às vezes em tempos menores ainda. Diferença significativa e essencial para áreas de grandes mudanças. 

No centro dessa nova arquitetura estão alguns elementos fundamentais, entre eles: a) Os sistemas de automação de processos (BPMS) que adotam padrões de mercado (como a linguagem BPML, por exemplo); b) As técnicas de WEB-SERVICES para flexibilização de acesso e uso de componentes de softwares; c) Motores inteligentes de regras de Negócios (BREs – Business Rules Engines), que permitem definições de regras de negócios pelos usuários finais, com extrema agilidade; d) Os padrões já consolidados de XML. 

A escolha e adoção de uma plataforma robusta tanto como de uma metodologia adequada de adoção desses conceitos em sua empresa, são fundamentais para o sucesso de longo prazo de uma iniciativa como essa. Apoiar-se em metodologias e padrões internacionalmente provados também é um bom critério. 

A CTGI Tecnologia e Gestão possui vasta experiência em automação de processos e nas tecnologias associadas.

Conheça o treinamento em Modelagem de Processos com BPML no link: http://www.ctgi.com.br/BPMS20052s04.aspx

Envie-nos sua consulta sobre o tema.


IV) ENGENHARIA DE SOFTWARE

A Engenharia Reversa prática e simples é o método fundamental para atualizar ativos de softwares. 

A Engenharia Reversa, parte do domínio da Engenharia de Software é a disciplina que cuida de entender e documentar um produto já existente. Para as empresas que buscam atualização de seus softwares, migrando-os para uma nova arquitetura ou plataforma tecnológica, é a área de conhecimento que maior benefício pode trazer.  Exige conhecimentos na tecnologia antiga e, ao mesmo tempo, domínio dos novos métodos de documentação de sistemas e técnicas de engenharia de sistemas. A UML é essencial para esse trabalho, pois permite elucidar, em uma linguagem atual - e compreensível também pelos usuários - as regras de negócios embutidas em um determinado software. 

Atualmente, as melhores plataformas de Engenharia de Software suportam técnicas e metodologias de Engenharia Reversa. Empresas que tradicionalmente investem em seus próprios sistemas adotam agora esses recursos para auxiliar e otimizar a migração de seus softwares para novas arquiteturas. Entre as empresas tipicamente usuárias estão os bancos, as bolsas de valores e demais empresas do setor financeiro, empresas fabricantes de softwares integrados como os ERPs, empresas federais, estaduais e municipais do governo, entre outras. Empresas de internet também estão adotando essas técnicas pois, muitas vezes cresceram desordenadamente e agora investem em uma estruturação mais adequada. 

A decisão por migrar um ativo de software sempre é difícil, mas atualmente se faz necessária em função do mercado exigir muita flexibilidade dos sistemas e do suporte tecnológico. As arquiteturas e tecnologias mais antigas já não suportam mais essas demandas, exigindo das áreas de Sistemas e TI um esforço no sentido de atualizar os sistemas mais estratégicos. 

O uso efetivo dos conceitos e métodos da Engenharia Reversa diminui tempos de atualização, evita erros e impõe a clareza necessária ao processo de mudança tecnológica. Também cria a base para que o desenvolvimento e manutenção do novo produto, originado dos ativos anteriores e já em uma nova tecnologia, siga os critérios de engenharia de software atualmente recomendados pelo mercado.

O EA – Enterprise Architect, a ferramenta da empresa australiana SPARXSYSTEMS e distribuída no Brasil pela CTGI Tecnologia e Gestão possui módulo de engenharia reversa para automatizar parte substancial dessa tarefa. O EA é a ferramenta de melhor custo-benefício do mercado. Faça o teste gratuito da ferramenta, baixando o “trial” através do link: http://www.ctgi.com.br/trialEA.aspx . Consulte-nos sobre esse tema. 

Integração e sincronismo entre modelagem e codificação: o desafio foi vencido. 

Um dos grandes limitadores para o amplo uso da modelagem de sistemas com adoção da UML tem sido ainda a dificuldade de integração e de sincronização entre o domínio da modelagem e o domínio de construção do código. A empresa australiana SPARXSYSTEMS deu um salto histórico e colocou recentemente no mercado uma solução absolutamente eficaz para esse desafio. Em um esforço conjunto com a MICROSOFT, em parceria desenvolvida especificamente para esse propósito, a empresa integrou o Enterprise Architect e o MDG Link com o Visual Studio 2005. 

Com a adoção dessa tecnologia, a navegação entre o modelo de um sistema e seu código fica completamente transparente e as atualizações em cada domínio são naturalmente compreendidas. Alterações em código e em modelos ficam agora amplamente facilitadas e em um ambiente completamente integrado. 

A CTGI Tecnologia e Gestão representa no Brasil a empresa australiana SPARXSYSTEM com a qual possui estreito relacionamento comercial e tecnológico. Informe-se sobre o produto enviando seu eMail para info@ctgi.com.br . Veja mais sobre a integração entre o EA e o MS-Visual Studio na página da Sparxsystems: http://www.sparxsystems.com.au/vsip/


   Atendimento/Contato :

 

Fone (11) 3722-2335

eMail info@ctgi.com.br.

 

 

CONTART Tecnologia e Gestão

Rua dos Três Irmãos, 160 Cj. 41

São Paulo - SP

 

Tel: +55 (011) 3722-2335

 
 

Hosting: Brasilsites.com